Autonomia infantil e família: controvérsias entre Axel Honneth e Piaget

Giovani Meinhardt

Resumo


O artigo perfaz um diagnóstico das tentativas de autonomia e emancipação precoces das crianças e dos adolescentes mediante as atitudes de negociação familiar. As condições e intenções emocionais paternas e maternas da busca por um entendimento educacional livre de supervisão geram e modificam estilos de autossocialização que se confrontam com socializações alhures aos costumes domésticos. Os múltiplos efeitos modelares do lar reverberam no estilo de socialização extrafamiliar das crianças, ou seja, na escola. O efeito reverso igualmente acontece. As patologias normativas observadas pelo filósofo Axel Honneth contrastam com a construção ontogenética normativa de Jean Piaget.


Texto completo:

PDF

Referências


HEGEL, Georg Wilhelm Friedrich. Linhas fundamentais da filosofia do direito, ou, Direito natural e ciência do estado em compêndio. São Leopoldo: Unisinos, 2010.

HONNETH, Axel. Sofrimento de indeterminação: uma reatualização da Filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Editora Singular, Esfera Pública, 2007.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2009.

HONNETH, Axel. O direito da liberdade. São Paulo: Martins Fontes, 2015.

LA TAILLE, Yves de. Prefácio à edição brasileira. In: PIAGET, Jean. O juízo moral na criança. 4. ed. São Paulo: Summus, 1994. p. 7-20.

MUNARI, Alberto. Jean Piaget. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2010.

PIAGET, Jean. Seis estudos de psicologia. Rio de Janeiro: Forense, 1972.

______. Estudos sociológicos. Rio de Janeiro: Forense, 1973.

______. O juízo moral na criança. 4. ed. São Paulo: Summus, 1994.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Acadêmica Licencia&acturas - (ISEI)

ISSN versão eletrônica: 2525-5754