A criança como sujeito histórico e de direitos e a formação de professores da educação infantil

Simone Weissheimer Santos, Luis Carlos Dalla Rosa

Resumo


O artigo discute a formação de professores que atuam no campo da Educação Infantil e tem como pano de fundo as escolas sociais da Rede Marista. A perspectiva de análise é a concepção da criança como sujeito histórico e de direitos e sua repercussão no processo de formação continuada de professores que atuam nessa etapa educativa. Do mesmo modo, o texto propõe uma análise crítica e reflexiva da recepção da criança e de seu direito à aprendizagem, tendo em conta a ação pedagógica do brincar. Por fim, o texto aponta decorrências para a formação de educadores, a partir de um programa de formação oferecido aos profissionais que atuam em duas escolas maristas de Educação Infantil localizadas no bairro Arquipélago, Porto Alegre.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Carlos Drummond de. A educação do ser poético. Revista brasileira de estudos pedagógicos. Rio de Janeiro, v. 61, n. 140, out./dez., p. 593-594. 1976.

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. 6. ed. São Paulo: Perspectivas, 2009.

ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2006.

BARTHES, Roland. Mitologias. 11. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

BECKER, Daniel. Infância não é fase de construir currículo. Exame, 23 nov. 2017. Disponível em: . Acesso em: 11 nov. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília: MEC, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Nacionais de Qualidade para Educação Infantil – PNQEI. Brasília: MEC, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília: MEC, SEB, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Estatuto da Criança e do Adolescente 25 anos! Porto Alegre: Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Porto Alegre, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Senado Federal, 1996.

CALLEGARI, Antonio. A construção da BNCC. In: EQUIPE EDUCACIONAL FTD. BNCC na prática. São Paulo: FTD, 2018.

COMISSÃO INTERPROVINCIAL DE EDIÇÃO MARISTA. Missão educativa marista: um projeto para o nosso tempo. Porto Alegre: CMC, 2003.

CRIANÇAS vivem sem saneamento básico na Ilha Grande dos Marinheiros. Gaúcha ZH, Porto Alegre,

ago. 2015. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2018.

FOCHI, Paulo Sérgio. Educação infantil e o professor em construção. Extra Classe, 2018. Disponível em: . Acesso em: 02 out. 2018.

FORMOSINHO, Júlia Oliveira. Pedagogia(s) da infância: dialogando com o passado; construindo o futuro. Porto Alegre: Artmed, 2007.

FREIRE, Paulo. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho d’Água, 1997.

HOLM, Anna Marie. Baby-art: os primeiros passos com a arte. São Paulo: MAM, 2007.

JORNALISMO AMBIENTAL. Ilhados pelo esquecimento. Uniritter, 30 abr. 2017. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2019.

KUHN, Thomas S. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 2007.

KUNDERA, Milan. O livro do riso e do esquecimento. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

MORAES, Maria Cândida. Pensamento eco-sistêmico, educação, aprendizagem e cidadania no século XXI. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

NASCIMENTO, Cláudia Terra do et al. A construção social do conceito de infância: algumas interlocuções históricas e sociológicas. In: OLHAR do Professor. Ponta Grossa: UEPG, 2011.

ORLANDI, Miguel. Prefácio. In: OST, Pedro (Org.). Caminho de transformação: trajetória social marista no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: MC, 2014.

OST, Pedro. Caminho de transformação: trajetória social marista no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: MC, 2014.

PRIORE, Mary. Apresentação. In: PRIORE, Mary (org.). Histórias das crianças no Brasil. São Paulo: Contexto, 1999.

PROUT, Alan. Novas formas de compreender a infância. Revista Educação, São Paulo, p. 28-41, 2012.

QUINTANA, Mário. Poesia completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2005.

REDE MARISTA. Diretrizes da educação infantil. Porto Alegre: CMC, 2015.

REDE MARISTA. Manual do Planejamento Estratégico: 2012-2022. Porto Alegre: Rede Marista, 2012.

RIZZINI, Irene. A criança e a lei no Brasil: revisitando a história (1822-2000). 2. ed. Brasília: Unicef; Rio de janeiro: USU Ed. Universitária, 2002.

ROUSSEAU, J. J. Emílio: ou da educação. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

SANTOS, Santa Marli Pires dos. Brinquedoteca: sucata vira brinquedo. Porto Alegre: Artmed, 1995.

SARMENTO, Manuel Jacinto; PINTO, Manuel. As crianças, contextos e identidades. Braga, Portugal: Universidade do Minho/Centro de Estudos da Criança/Ed. Bezerra, 1997.

UMBRASIL. Água da rocha: espiritualidade marista. Guarulhos: FTD, 2007.

UMBRASIL. Projeto educativo do Brasil Marista. Brasília: UMBRASIL, 2010.

WEISS, Luise. Brinquedos e engenhocas: atividades lúdicas com sucata. São Paulo: Scipione, 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Acadêmica Licencia&acturas - (ISEI)

ISSN versão eletrônica: 2525-5754