A Residência Pedagógica: de política para a formação de professores à uma nova experiência de aprendizagem formativa vivenciada no curso de Pedagogia do Instituto Superior de Educação Ivoti

Raquel Dilly Konrath, Vera Kern Hoffmann

Resumo


Vivemos em tempos de ressignificações, de mudanças, de novos sentidos e de novas práticas de formação de professores/as. Práticas que sejam mais próximas dos diferentes dilemas que emergem do atual contexto educativo. Esse atual cenário produz novas exigências, projetos e profissionais que possam atuar de forma mais crítica e criativa. Este estudo apresenta o Programa de Residência Pedagógica, pautado nas novas Diretrizes Curriculares Nacionais que estabelecem a formação inicial e continuada dos professores da Educação Básica como uma importante estratégia de desenvolvimento profissional docente. Constitui-se em algumas reflexões teórico-práticas sobre a experiência vivenciada pelos bolsistas residentes do Programa de Residência Pedagógica no Curso de Pedagogia do Instituto Superior de Educação Ivoti, no período de agosto de 2018 a dezembro de 2019, sob a orientação de duas professoras que integram o quadro docente do curso e igualmente acompanhadas por professores experientes de três escolas públicas municipais, numa abordagem metodológica de intervenção de pesquisa-ação, fundamentada nos pressupostos de Isabel Alarcão (2010), valendo-se dos estudos de Donald Shön (1983-1987). Essa experiência configurou-se numa importante e rica oportunidade de integrar conhecimentos teóricos profissionais estudados no curso de formação com as demandas e dilemas provindos do cotidiano da prática escolar, numa proposta que buscou aproximar a Instituição Formadora, seus estudantes residentes e as escolas públicas municipais da Educação Básica, na formação de professores reflexivos.


Texto completo:

PDF

Referências


ALARCÃO, Isabel. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. São Paulo: Cortez, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC): educação é a Base. Brasília, DF: MEC/CONSED/UNDIME, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 19 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP N º 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Brasília, DF, 2019. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=77781%E2%80%9D#:~:text=Resolu%C3%A7%C3%A3o%20CNE%2FCP%20n%C2%BA%202%2C%20de%2020%20de%20dezembro%20de,B%C3%A1sica%20(BNC%2DForma%C3%A7%C3%A3o). Acesso em: 19 jun. 2020.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR (CAPES). Edital CAPES nº06/2018. Programa de Residência Pedagógica: chamada pública para apresentação de propostas no âmbito do Programa de Residência Pedagógica. Brasília, DF, 2018. Disponível em: https://www.capes.gov.br/images/stories/download/editais/01032018-Edital-6-2018-Residencia-pedagogica.pdf. Acesso em: 19 jun. 2020.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria de Estado da Educação. Departamento Pedagógico. Referencial Curricular Gaúcho. Porto Alegre: SeducRS, 2018. Disponível em: http://portal.educacao.rs.gov.br/Portals/1/Files/1532.pdf. Acesso em: 19 jun. 2020.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Acadêmica Licencia&acturas - (ISEI)

ISSN versão eletrônica: 2525-5754