Desenvolvimento da aprendizagem de crianças com pais com transtorno depressivo

Ana Paula Hafemeister, Giovani Meinhardt

Resumo


O presente artigo tem como objetivo apresentar de forma sintética os estudos e pesquisas consumados em meu trabalho de conclusão de curso, produzido no ano de 2019 na graduação de Pedagogia. O Transtorno Depressivo atingiu diversas idades, gêneros, etnias, profissões e classes sociais. Na contemporaneidade estima-se que seja a doença que mais afasta as pessoas dos seus trabalhos. Vidas extremamente agitadas e atarefadas, com horário para sair de casa, porém sem hora para retornar, espaços desestruturados (família, relacionamento, trabalho, escola) são as possíveis causas. Diante dos avanços do transtorno, muitas famílias sofrem com a instabilidade que o acompanha, as crianças são as mais afetadas neste processo. Por falta de maturidade não compreendem o motivo do pranto inesperado do pai ou da mãe, o porquê a mãe não se alimenta nas refeições em família, ou porque o pai dorme tanto e não brinca mais com ela. O trabalho de conclusão teve o objetivo de elucidar o Transtorno Depressivo e a influência de pais com Transtorno Depressivo no processo de aprendizagem dos filhos.

Texto completo:

PDF

Referências


AMERICAN PSYCHIARIC ASSOCIATION (APA). Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

BEE, Helen; BOYD, Denise. A criança em desenvolvimento. 12. ed. Porto Ale-gre: Artmed, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Depressão: causas, sintomas, tratamentos, diagnósticos e prevenção. Disponível em: http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/saudemental/depressao#depressao. Acesso em: 05 nov. 2019.

CAMARGO, Poliana Santos. Desenvolvimento infantil e processos de aprendizagem e ensino: alguns olhares e contribuições. Disponível em: http://www.dentclean.com.br/dentclean/Portugues/manPublicacao.php?c=6. Acesso em: 10 set. 2019.

CAMINHA, Renato; CAMINHA, Marina; DUTRA, Camila (org.). A prática cognitiva na infância e na adolescência. Novo Hamburgo: Sinopsys, 2017.

CUNHA, Ricardo Vivian da; BASTOS, Gisele Alsina Nader; DUCA, Giovâni Firpo Del. Prevalência de depressão e fatores associados em comunidade de baixa renda de Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Rev. bras. epidemiol., São Paulo, v. 15, n. 2, p. 346-354, jun. 2012. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2012000200012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415790X2012000200012&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 10 ago. 2019.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

IZQUIERDO, Ivan. Tempo de viver. São Leopoldo, RS: Editora Unisinos, 2002.

OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças. Planejamento estratégico. 17. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

OLIVEIRA, I. L. S.; BRAGA, A. P.; PRADO, C. M. N. Participação da família no desenvolvimento da aprendizagem da criança. Estação Científica (UNIFAP), Macapá, v. 7, n. 2, p. 33-44, maio/ago. 2017. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/2272-8.pdf. Acesso em: 05 out. 2019.

PINHEIRO, T. Depressão na contemporaneidade. Pulsional Revista de Psicanálise, n. 182, p. 101-109, 2005. Disponível em: http://teopsic.psicologia.ufrj.br/nepecc/files/depressao_na_contemporaneidade.pdf. Acesso em: 12 out. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista Acadêmica Licencia&acturas - (ISEI)

ISSN versão eletrônica: 2525-5754